12719839214 6f80ee8fcf bA Secretaria Municipal de Educação juntamente com a Secretaria Municipal de Saúde e os Departamentos de Dermatologia e Radioterapia e de Zoologia da Unesp de Botucatu abordaram o assunto e consideraram necessárias ações de prevenção, controle e de socorro em caso de acidente.

Diante do surgimento de escorpiões em algumas unidades escolares do município de Botucatu, a Secretaria Municipal de Educação adota procedimentos padronizados para toda a rede municipal de ensino e unidades escolares conveniadas.

Confira o COMUNICADO na Íntegra AQUI

 

 

"COMUNICADO 001 / 2019

Assunto: Orientação de procedimentos de prevenção, controle e primeiros socorros em caso de acidentes com escorpiões em ambientes escolares.

Para: Gestores Educacionais.

 

De acordo com o Decreto nº 11.578, de 08 de janeiro de 2019:

 

“Decreta situação de emergência a saúde pública de Botucatu para combater a proliferação de escorpiões Tityus bahiensis (escorpião marrom) e Tityus serrulatus (escorpião amarelo), bem como dos mosquitos transmissores dos vírus da Dengue, Chikungunya, Zika e Febre Amarela.”

A Secretaria Municipal de Educação juntamente com a Secretaria Municipal de Saúde e os Departamentos de Dermatologia e Radioterapia e de Zoologia da Unesp de Botucatu abordaram o assunto e consideraram necessárias ações de prevenção, controle e de socorro em caso de acidente.

Diante do surgimento de escorpiões em algumas unidades escolares do município de Botucatu, a Secretaria Municipal de Educação adota procedimentos padronizados para toda a rede municipal de ensino e unidades escolares conveniadas.

Parte 1: Cuidados com o ambiente escolar

  • Observar minuciosa e diariamente as dependências internas e externas da unidade escolar, o objetivo é constatar presença ou ausência de escorpiões;
  • Vedar as áreas internas da unidade escolar: vãos e frestas de paredes e janelas para que não sirvam de esconderijos para escorpiões;
  • Bloquear soleiras de portas com rolos de areia ou rodos de borracha;
  • Reparar rodapés, telar aberturas de ralos, pias ou tanques;
  • Realizar a limpeza periódica de ralos de banheiro, cozinha e caixas de gordura;
  • Manter os ambientes de DESPENSA e COZINHA limpos e organizados, as embalagens devem ficar devidamente fechadas;
  • Vistoriar diariamente as cortinas para impedir que sejam lugares de esconderijo;
  • Retirar o lixo em sacos plásticos fechados e materiais inservíveis da área externa da unidade escolar e, periodicamente, fazer o remanejamento do local do cesto do lixo para evitar baratas e outros insetos;
  • Deixar as cerdas de vassouras e rodos para cima, quando não fixados em suportes próprios;
  • Evitar folhagens de jardins nas paredes externas;
  • Deixar colchões ou colchonetes sobre mesas ou cadeiras de maneira que fiquem elevados do chão, favorecendo assim a prevenção e a manutenção da limpeza;
  • Elevar os tatames do chão diariamente para fazer a devida higienização;
  • Afastar berços e mobiliários, no mínimo, à distância de 10cm da parede;
  • Observar diariamente carrinhos de bebê, bebês confortos e berços antes do uso;
  • Realizar diariamente a busca ativa e criteriosa em piscinas de bolinha, casas de boneca, caixas de brinquedos, caixas organizadoras, estantes e prateleiras e demais materiais pedagógicos;
  • Verificar cuidadosamente mochilas, vestuários, toalhas e calçados antes de usá-los, pois podem ser lugar de abrigos a escorpiões.

 

Os escorpiões precisam de quatro “AS” para sobreviverem:

Acesso,

Abrigo,

Alimentação,

 e Água.

O controle desses animais depende da limpeza e exige dedicação de cada um de nós”.

 

Parte 2: Como proceder em casos de acidente

 

  • Acionar o mais rápido possível:
  • SAMU: 192
  • Corpo de Bombeiros: 193
  • Central de Ambulância da SMS: 0800-7721415

       não deve haver omissão de socorro e as orientações dadas, pelo    

       serviço chamado, devem ser seguidas criteriosamente;

  • Fazer a hidratação adequada, assegurar repouso e tranquilidade à vítima, limpar o local da picada na criança / vítima com água e sabão;
  • Encaminhar ao médico:
    • crianças e adolescentes menores de 15 anos ao PS Infantil;
    • acima dos 15 anos ao PS Adulto;
  • Realizar, se possível, de forma segura a captura do animal: fazer uso de pinça e colocar o animal em recipiente adequado, como vidro com tampa. A captura e/ou fotografia do animal garantem sua identificação para o pronto atendimento médico.

O que não fazer?

 

  • Não amarrar ou fazer torniquete;
  • Não aplicar nenhum tipo de substância no local da picada como álcool ou qualquer medicamento;
  • Não fazer sucção com a boca ou cortes no local.

“Os acidente são mais comuns durante os meses mais quentes, período em que os escorpiões estão mais ativos”.

Fontes de consulta:

Semanário Oficial Eletrônico. Botucatu, 09 de janeiro de 2019. Ano XXIX. Edição 1504. Suplemento D - Jornalista Responsável: André Godinho.

Secretaria Municipal de Saúde de Botucatu. Vigilância Ambiental em Saúde. Cartaz: Escorpiões: prevenção e controle.

HADDAD, Vidal Jr. et al. Realização Unesp: Instituto de Biociências de Botucatu, Departamento de Dermatologia e Radiologia da FMB, Fundbio, Programação de Pós-

-Graduação em Zoologia. Folder: Escorpiões: velhos conhecidos e novos problemas. Layout e ícone criados, respectivamente, por Freepik e Flaticon.